divagares

Outubro 31 2014

Um filme búlgaro de 1972 realizado por Metodi Andonov. Vi este filme nos anos oitenta. Gostei. Revi-o agora na NET, sem legendas. Mas, mesmo assim compreende-se perfeitamente esta estória de justiça pelas próprias mãos, que inicia com uma violação colectiva e termina com o despertar da feminilidade de uma rapariga criada em condições muito pouco comuns, e a descoberta do amor que a conduz à morte. A fazer lembrar o drama de Shakespeare. Eis um excerto. Vale a pena ver o filme todo.

 

 

publicado por divagares às 10:49

Outubro 30 2014

A luta de classes desenvolve-se e, como tudo no mundo, mudam as suas formas. Hoje, quem quiser intitular-se de marxista tem de compreender por fim que no presente a forma superior de luta de classes, à escala mundial, é a guerra imperialista moderna.

A luta de classes à muito que se internacionalizou, se globalizou, e esta furiosa guerra no planeta é precisamente a sua forma de internacionalização, a forma moderna de confrontação entre o trabalho e o capital.

Tatiana Khabarova

publicado por divagares às 11:24

Outubro 29 2014

2810_mst699Brasil70.jpg

 

Já muito foi dito sobre a vitória eleitoral de Dilma Russef. Acrescento que a senhora presidenta apanhou um valente susto na campanha eleitoral. Na primeira volta - primeiro turno como dizem os brasileiros - em que foram votados também os governadores dos Estados e os parlamentares, o PT e os seus aliados perderam votos e mandatos e a presidenta candidata foi remetida para uma segunda volta. As causas deste resultado são motivo bastante para ser feita uma profunda reflexão sobre os caminhos que os governos de Lula e depois  Dilma seguiram. O deslumbramento é muito perigoso...

Na segunda volta, a vitória minguada da senhora Dilma, foi a meu ver, uma grande vitória! Atente-se no tudo por tudo jogado pela direita, que habilmente utilizou as fragilidades da governação petista. Atente-se no papel dos conservadores OCS, com destaque para o "feito" da Veja na ante-véspera da votação. Atente-se em coisas bizarras como a postura do PCB, que sob a capa de um purismo ideológico colocou Dilma no mesmo saco com o Aécio Neves - não compreendi esta cegueira do Partido brasileiro que mais simpatia me inspira. Atente-se a situações como o apoio do candidato a governador do Maranhão (Vitorioso) ao candidato do neoliberalismo, enquanto o seu Partido, o PC do B, é coligado com o PT, logo apoiante da Dilma, o mesmo PT que no Maranhão concorreu contra o candidato do seu aliado. Isto só pode ser exotismo brasileiro... Atente-se ainda à sujeira da despeitada Marina Silva.

Considerando tudo isto, só pode concluir-se que a vitória de Dilma foi um grande feito. Saiba a senhora presidenta neste último mandato ser "muito melhor do que fui até agora". Ganhará o Povo trabalhador brasileiro e daí a quatro anos o candidato petista voltará a ganhar.

E, deppois desta jornada brasileira, faço votos para que no Uruguai, no próximo mês, o senhor Tabaré Vasquez seja eleito presidente, coroando a expressiva vitória eleitoral das forças de esquerda neste país.

Tabare_Vasquez_t670x470.jpg

 

publicado por divagares às 10:40

Outubro 28 2014

Benjamin-sm.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um acontecimento vivido é finito, ou pelo menos encerrado na esfera do vivido, ao passo que o acontecimento lembrado é sem limites, porque é apenas uma chave para tudo que veio antes e depois.

publicado por divagares às 22:12

Outubro 27 2014

A criação das linhas de montagem em Portugal surge na década de 60, como estratégia industrial do grande capital nacional e internacional como tentativa de travar o descontentamento popular e manter o anterior regime. Foi então que aproveitando a mão de obra barata, foram criadas 20 empresas de montagem, todas elas dependentes das multinacionais da Europa da CEE, dos E.U.A. e do Japão.

A legislação específica que desde então regulamentou a sua actividade teve como consequência um crescimento desordenado e de oportunidade. O não desenvolvimento da indústria de componentes nacionais, o só realizar operações intermédias ou afins do processo produtivo, é resultante de uma dependência quase total em relação ao estrangeiro.

Neste sector é onde a concentração é mais expressiva.

A seguir ao 25 de Abril, pelo empenhamento dos trabalhadores foi criada a GEPA (Gabinete para o Estudo da Política Automóvel) visando a  reestruturação reconversão do Sector.

Mas com o início da política de recuperação capitalista, iniciada em 1976 pelo governo PS aliado à direita, é extinto o GEPA e criada uma Comissão para o Sector Automóvel, já sem a participação dos trabalhadores. Desta Comissão saiu o relatório que serviu de base à Resolução nº. 243/77 sobre o projecto Renault, que não está a ser cumprida.

Em Fevereiro de 1985 realizou-se uma Assembleia da organização do PCP, do sector automóvel. O texto acima transcrito foi extraído da caracterização constante do documento aprovado pela Assembleia.

Foi no sector de montagem de automóveis que trabalhei até 30 de Março de 1974. Daí ter conhecido razoavelmente os seus problemas e sempre ter procurado estar a par da sua evolução até ao desaparecimento - Em Setúbal não resta uma única unidade de montagem automóvel.

À data da realização daquela Assembleia, em Setúbal laboravam 8 unidades industriais - Companhia Portuguesa de Motores e Camiões/Barreiros, Evicar, IMA, Imperex, Movauto, Renault ,Tecnimetal - ainda com 2.300 postos de trabalho, e, pode afirmar-se que outros tantos haviam sido  liquidados nos 10 anos anteriores, como resultado da política de recuperação capitalista iniciada por Mário Soares em 1976 e o consequente afastamento da intervenção dos trabalhadores.

 

publicado por divagares às 11:49

Outubro 25 2014

 

publicado por divagares às 20:33

Outubro 24 2014

 

Diz a CTA (Companhia de Teatro de Almada) que este vídeo é uma amostra do filme feito por Sofia Marques, cujo conteúdo é sobre a preparação/ensaios do espectáculo Ilusão, encenado por Luís Miguel Cintra, a partir de textos dramáticos de Frederico Garcia Lorca.

Fica-se com uma grande vontade de ver o filme, já que Lorca foi um mestre e, mestre é também Luís Miguel Cintra, actor e encenador.

publicado por divagares às 21:23

Outubro 23 2014

Socialista?

Repito: pragmático, reformista e republicano.

Assim se define a aventesma que faz de primeiro ministro de França. Bom, ele respondeu assim, numa entrevista a um jornal, ou revista. Mas não deve demorar a desdizer-se. Mas, convencido estou eu de que socialista ele não será. Por conveniência "navega" nas fileiras de um Partido Socialista. O que não falta é gente desta por aí. 

valls-5e2a.jpg

 

publicado por divagares às 14:20

Outubro 22 2014

Visão.jpg

Quando rebentou a escandaleira, o implicado foi respondendo não se lembrar do que recebeu ou se havia recebido alguma coisa. Depois, a muito custo lá conseguiu lembrar-se de ter recebido, não salário, mas "apenas" qualquer coisa tipo para refeições, viagens, coisas assim.

Agora, pela revista Visão soube-se que ao seu pedido para consultar o processo da tal ONG liderada por Passos Coelho, obteve como resposta da Segurança Social que não encontraram o dito processo. E também, segundo a Visão o Balancete Analítico da referida ONG - que dá pela sigla CPPC - por enquanto também ninguém sabe o seu paradeiro...

publicado por divagares às 21:54

Outubro 21 2014

maria-das-neves_comdilma1369406.jpg

 

Esta é uma imagem da luta eleitoral que se trava no Brasil. É uma apoiante de Dilma. Que, desta forma quis denunciar o machismo do candidato Neves,que gosta de "molhar a sopa" - bateu mesmo na namorada em público. É caso para perguntar: o que fará em privado?

O voto é uma conquista das Mulheres. Conquistado depois de muita luta. Fui pesquisar sobre isso e descobri que na França da Revolução, na França liberal, a Mulher só teve direito a votar em 1945. Fiquei estarrecido! Isto, quando na longínqua Nova Zelândia esse direito foi consagrado e exercido em 1893!

Já agora é de referir que em Portugal, o conservadorismo da Republica de 1910 manteve-se nesta matéria, e só em 1931 foi permitido pela primeira vez o voto à Mulher, mas com grosseiras restrições. Depois, em 1968 dá-se um ligeiro passo em frente permitindo o exercício de voto à Mulher, desde que saiba ler e escrever. Finalmente, só após o 25 de Abril foi consagrado o direito de voto a todos os cidadão e cidadãs maiores de 18 anos! Conquista esta que se mantêm!

 

publicado por divagares às 13:01

mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
16
17


26


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO