divagares

Março 31 2017

O google dedicou hoje a sua página de entrada (será que pode dizer-se assim?) ao 145º. aniversário de Sergei Diaghilev. Muito justo! Foi um notável criador de arte.

 

publicado por divagares às 21:27

Março 28 2017

Alexandre Herculano.jpeg

Em 1810, no dia 28 de Março nasceu em Lisboa Alexandre Herculano. De seu nome completo Alexandre Herculano de Carvalho Araújo. Nasceu de uma família da classe média descendente de mestres pedreiros.

Uma figura que me fascina.

Será, talvez, a personalidade mais marcante do romantismo português.

Controverso, foi liberal e conservador, Católico confesso e anti-clerical. Afrontou o reaccionarismo do clero de então. Foi polémico. Pôs em causa o mito da batalha de Ourique. Do ponto de vista do estudo da história rejeitou todo o facto que não tivesse base documental.

Foi militar, funcionário da Torre do Tombo e secretário da Academia das Ciências. Foi um intelectual brilhante, romancista, poeta, jornalista, polemista, historiador. Nos últimos anos de vida retirou-se para Santarém e aí foi produtor de azeite - pelo facto, os seus detractores alcunharam-no de azeiteiro.

Recusou todas as distinções honoríficas que lhe foram propostas.

Protagonizou, segundo Joaquim Barradas de Carvalho (1920-1980) uma revolução epistemológica na historiografia portuguesa. Sobre a história feita até então, considerava-a apenas a "biografia dos indivíduos eminentes". Vale a pena dar a palavra ao professor Barradas de Carvalho:

"A uma história do sensível se substitui uma história do inteligível". Daí, o professor afirmar acerca de Alexandre Herculano, "que foi com a sua obra de historiador que nasceu em Portugal a historiografia científica."

publicado por divagares às 22:02

Março 26 2017

José Goulão.jpeg

A chamada «construção europeia» é inseparável da estratégia e dos comportamentos da NATO. Uma e outra cuidam dos mesmos interesses. A versão oficial assegura que são a democracia e os direitos humanos; os cidadãos sentem e sabem, por experiência própria, que cuidam sobretudo da impunidade do mercado, do casino da finança, da austeridade, da desregulação de capital e trabalho, das guerras expansionistas e de rapina sempre que esses interesses as reclamem.

José Goulão

publicado por divagares às 22:45

Março 23 2017

Aos que pertenceram ao Batalhão de Caçadores 1912 - CCS e Companhias de Caçadores 1684, 1685 e 1686 - que estiveram na Guiné, 1967 - 1969, dirijo esta mensagem:

O almoço/convívio deste ano terá lugar no dia 22 de Abril no Restaurante do "Ti Alberto", situado no lugar de Verdelha do Ruivo, na Via Longa. As marcações podem ser efectuadas para os números 917302811 ou 219521633, de Alberto Jorge da Silva.

Oportunamente publicarei o mapa de acesso para facilitar a chegada ao local.

Tratai de marcar nas vossas agendas!

B Caç 1912.jpeg

 

 

publicado por divagares às 11:34

Março 21 2017

250px-Johann_Sebastian_Bach.jpg

Nasceu a 21 de Março de 1685 em Eisenach e viria a falecer a 28 de Julho de 1750 na cidade de Leipzig. Um dos mais importantes músicos de todos os tempos.

 

antes músicos de todos os tempos.

publicado por divagares às 22:15

Março 13 2017

Angel Parra.jpeg

 

 

 

publicado por divagares às 14:16

Março 11 2017

ANTECIPAÇÃO

 

Entreabro as minhas

coxas

no início dos teus beijos

 

imagino as tuas

pernas

guiadas pelo desejo

 

oiço baixo o teu

gemido

calado pelos meus dentes

 

imagino a tua boca

rasgada

sobre o meu ventre

Markia Teresa Horta.jpeg

 

publicado por divagares às 10:44

Março 08 2017

digitalizar0003.jpg

Estas são as palavras de Maria Lamas - Torres Novas 06/10/189-Lisboa 06/12/1983 - no início do seu livro As Mulheres do Meu País. Obra monumental, impressiva, que publicou depois de, ao longo de dois anos calcorrear Portugal de lés a lés, de muito Ver, Escutar, fotografar, reflectir. Editada em 1948, constitui um retrato fiel da situação da Mulher portuguesa de então, e uma comovente homenagem.

3188547783_e349c92750.jpg

retrato de Maroia Lamas.jpg

 

publicado por divagares às 12:03

Março 07 2017

Mulheres com enxadas.jpg

Trabalho o sol traz

e o sol to leva

essa carga

não leves

 

A enxada é carga

mulher tu não podes

esse peso

não pedes

 

Pesa-te o trabalho

a carga que levas

mulher

não caves

 

A enxada pára

mulher não é leve

a ela

não cedas

 

Noutra arma pega

mulher é mais leve

com ela

fere

 

Essa arma leva

mulher o seu peso

nega

o medo

 

Este poema que considero sublime, guardei faz muitos anos e, por estranho que pareça não tenho a certeza de ser da Maria Tereza Horta.

publicado por divagares às 10:25

Março 05 2017

 

publicado por divagares às 20:25

mais sobre mim
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17
18

19
20
22
24
25

27
29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO