divagares

Março 03 2015

I

Pega na palavra pedra

arrancada à rocha

rouca de garganta

 

e tritura sem pressa

a ganga com do dentes

 

até que fique só no canto

coral da boca

o sonoro seixo de cristal

 

II

 Talha a pedra da palavra

fúria com mestra

 

até que seja gume e corte

dum só grito ou golpe

 

a veia devida

no pescoço da morte.

 

III

Arrancada à unha a pedra

da calçada

para a certeira palavra

pedrada:

 

Pois pedra jogada

com gana mata

e se se trata

dum caso agudo

vale tudo.

 

IV

Pedra a pedra pões

palavra sobre palavra

e o poema cresceu

dos caboucos ao céu:

 

Repara que

lá dentro habita

um coração de pedra

humana que palpita.

 

Carlos Aboim Inglez

publicado por divagares às 12:25

mais sobre mim
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14


22
24
28

30


pesquisar
 
blogs SAPO