divagares

Outubro 30 2015

João Monge.jpg

Aerograma

 

Deus queira que esta

Vos mate a fome aos sentidos

Por agora

 

Deus queira que esta 

Vos guarde a dor aos gemidos

Noite fora

 

Dançamos fandangos

Sobre uma navalha

Pássaros em bando

Em nuvens de limalha

 

E assim eu cá vou indo.

 

Vem-me o fel à boca

As tripas ao coração

A noite trás a forca pela sua mão

 

Sonho com fantasmas

De pele preta e luzidia

Com manuais de coragem e cobardia

 

Dizem que há sempre

Um barco azul para partir

Nosso hino

Embarca a alma

E os restos de um rosto a sorrir

Do destino

 

Põe o meu retrato

No altar de S. João

E uma vela com formato de canhão

 

Cansa-me esta escrita

Com dois dedos num baraço

Assim o quis a desdita

Vai um abraço.

 

 

publicado por divagares às 13:42

mais sobre mim
Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

17

19
20
21

25
26
27


pesquisar
 
blogs SAPO