divagares

Março 14 2016

Sebastião da Gama.jpg

 Quando morreste, nada ficou como estava.

 

A tristeza galgou a Serra

e a luz esmaeceu no horizonte

espalhando por escarpas e vales

um silêncio profundo,

que apenas o canto das cigarras

desperta.

 

Tuas mãos,

que tantos poemas teceram

num olhar rendido

à montanha e ao rio,

cedo pereceram

empobrecendo

a nossa poesia.

 

O teu lugar

ficou vazio.

Apenas o vento

leva o seu lamento

ao encontro do poeta

que tantas vezes dizia...

- que pelo sonho é que ia!

publicado por divagares às 12:15

mais sobre mim
Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
17
19

21
26

27
28
29


pesquisar
 
blogs SAPO