Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

divagares

divagares

22
Set18

2018 ano do centenário do nascimento de Leonard Bernstein

divagares

Nascido a 25 de Agosto de 1918 na cidade americana de Lawrence no Massachusetts, filho de emigrantes judeus ucranianos.

Compositor, e director de orquestra. Pedagogo inato, divulgador como poucos da importância da música.

Cidadão activamente interveniente na sociedade do seu tempo, politicamente esclarecido e empenhado, por isso perseguido  no período da caça-às-bruxas do tristemente célebre macartismo. Rebelde até ao final dos seus dias teve na luta contra a guerra do Vietname uma das suas últimas batalhas.

 

 

 

09
Set18

A Festa do Avante! é mesmo uma Festa! Mas muito especial! Queiram ou não, alguns!

divagares

Chegar à Quinta da Atalaia, Amora, Seixal (temos sempre que acrescentar Amora, Seixal, porque há mais Amoras na terra), na primeira sexta-feira de setembro, com o sol a descer, é como voltar a casa. Não se explica muito bem. Entra-se ali e está-se em casa.

A caminho da festa, o meu pai garantia-me que fui ao Jamor, pequenina, ainda de colo, e que era só calor e pó e a minha mãe, pouco dada a festas e militâncias, não durou lá muito tempo comigo e o meu irmão, quase da mesma idade.

O meu pai foi a todas. Eu não sei. Talvez à Ajuda, também calor e pó, dessa tenho uma vaga lembrança. E depois só já crescida (já a festa tinha conquistado a Quinta da Atalaia há uns tempos), aos 24 anos, por causa de um livro que escrevi com o Álvaro Cunhal, aos 28, em trabalho, como jornalista, e desde então, sempre.

Este ano, falhei o discurso de abertura, ouvi-o ao longe, da porta da Quinta da Princesa, como ouvi ao longe o Avante Camarada, sem poder juntar a minha voz à deles, abraçada, à moda alentejana, a pessoas que não conheço, e a terra sem amos, a Internacional. Quando não falho, as lágrimas também não e são outra coisa que me custa explicar. Talvez seja da justeza dos ideais e da luta, da luta a sério, por eles. Talvez seja disso, a emoção.

Anteontem, pediram-me um texto sobre a festa e então eu, que ia só por voltar a casa, pela primeira vez, nos últimos 15 anos, percorri aqueles quilómetros todos, de uma ponta à outra, de olhos diferentes, a ver o que nunca tinha visto. E foi um espanto.

Talvez o meu pai tenha razão e eu tenha ido bebé de colo, porque há tanta gente com bebés de colo e em cadeirinhas, há miudagem que farta, em magote ou com os pais, pré-adolescentes e adolescentes, como os meus filhos, pós-adolescentes e malta da minha idade, malta da idade do meu pai (a geração de Abril) e mais velhos, bengalas. E estão todos em todo o lado. São muitos (quando levo amigos meus de direita à Festa do Avante!, a piada é sempre a mesma: "são muitos, medo"). Ninguém com pressa. Minto, quando começa a Carvalhesa a avisar que vai abrir o Palco 25 de Abril, aparece gente a correr de todas as artérias da festa. Os comunistas (e os outros todos, que não há só comunistas na festa) gostam de dançar. Sobretudo a Carvalhesa. De resto, ninguém com pressa.

É bonito isso na festa. É um lugar onde se está. E tanto se pode estar no palco 25 de Abril a ouvir um pedaço da nona sinfonia de Beethoven [Sinfonia n.° 9 Coral op. 125 (4.° andamento: Finale-Presto)], interpretado pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa e o Coro Sinfónico Lisboa Cantat, como no palco 1º de Maio a dançar com os cabo-verdianos Tubarões. Tanto se pode estar a assistir a um combate de boxe como a ver 1936, O Ano da Morte de Ricardo Reis, pel'A Barraca, no Avanteatro. Tanto pode estar-se a jogar futebol como a ver a exposição do Pavilhão Central "Capitalismo - Génese, natureza, contradições". Tanto pode estar-se a ver o filme Luz Obscura, de Susana Sousa Dias, no CineAvante, como a beber copos, comer e conversar numa qualquer esplanada do mundo ou do país (da China a Leiria, da Madeira à Venezuela, de Beja ao Brasil, de Lisboa a Cuba, é escolher - podia continuar, mas acho que já se percebeu a ideia).

E ainda há os debates. Muito debatem os comunistas. Há debates em todo o lado e a toda a hora. E há a feira do disco e a do livro. Fui espreitar. Estive para comprar o Casei com um Comunista, do Philip Roth, mas resisti.

Quando acabei a volta, sozinha (é tão raro estar na festa sozinha) percebi finalmente porque volto lá sempre e me sinto em casa. É um lugar onde toda a gente trata toda a gente toda por igual (e por camarada), onde cantei com o Sérgio Godinho e o Jorge Palma, onde me desiludi com o Fausto, onde fiz as pazes com o Paulo de Carvalho, onde chorei com a Estrela da Tarde cantada pelo Carlos do Carmo e com a Desfolhada na voz de Simone de Oliveira e onde perdi a vergonha de saltar com os Xutos & Pontapés. É um lugar onde posso tudo o que quiser. É um lugar de liberdade.

 

06
Set18

Acerca de Staline

divagares

the_hawks_of_peace.jpg

"Muitas vezes me perguntei porquê a URSS se tinha tornado uma super potência sob Estaline e porque tinha começado a perder essa posição após a sua morte (...) Muito simples , sob Estaline a ninguém da nomenclatura era permitido roubar o Estado. Este é talvez o maior mérito da sua era e a principal razão da sua imorredoura popularidade actualmente." 

 

Dimitri Rogazin, um cidadão russo não comunista, no seu livro "The Hawks Peace", que foi embaixador do seu país junta da NATO, sobre a qual faz a seguinte afirmação: "O cinismo da NATO ultrapassa os piores cínicos deste mundo."

04
Set18

Museu Nacional do Rio já não existe!

divagares

Foi consumido pelas chamas que implacavelmente devoraram tudo! Perdeu-se um acervo histórico incalculável! A seguir virão as investigações oficiais e as respectivas conclusões que nada vão remediar. O que entretanto vai constando é que foi vítima das políticas neoliberais que conduziram ao abandono a que estava sujeito por parte da tutela, com cortes substanciais que vulnerabilizaram aquela parcela do património cultural brasileiro. E hoje mesmo, os que tentaram manifestar a sua solidariedade foram recebido pela polícia à bastonada!

1535940297_655202_1535940418_album_normal_recorte1

naom_5b8e32a88349e.jpg

 

17
Ago18

A ONU e Lula da Silva

divagares

lula124820.jpeg

Desta vez, a ONU tomou uma posição inequívoca a favor da Justiça, ao declarar o direito do cidadão brasileiro Lula da Silva a ser candidato presidencial no Brasil agrilhoado pelos golpistas! Vamos esperar para ver!

08
Ago18

A tragédia de Monchique e as suas causas

divagares

Segundo o Professor Carlos Câmara, climatologista da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o incêndio de Monchique era "um desastre anunciado" devido à "quantidade de biomassa acumulada ao longo de décadas".

 

Por outras palavras, digo eu, a incúria, o desmazelo, a irresponsabilidade, o desprezo pela segurança das populações, manifestados pelos sucessivos governantes sejam eles do PS, do PSD com ou sem CDS, só pode ter como consequência tragédias desta dimensão!

Há um ano foi o que todos sabemos: Destruição e morte em larga escala. Enterrados os mortos tudo ficou como dantes no quartel de Abrantes!

Qualquer pessoa que se desloque pelo país, com os "olhos abertos" constata o estado calamitoso das matas. O acumular de detritos lenhosos (a tal biomassa a que se refere o cientista) é bem mais perigoso que a inclemência das temperaturas.

Entretanto Suas Excelências desdobram-se em declarações, qual assobiar para o lado, envolvem-se em chicanas para alimento televisivo. Invariavelmente invocam constrangimentos orçamentais para justificarem a não tomada de medidas.

Engraçado, nunca há constrangimentos quando se trata de "salvar" Bancos (cujos malfeitores saiem impunes das malfeitorias) ou custear a NATO assassina!

7-fogo-e1473284136367.jpg

 

38719292_10156332489460667_8364469935904129024_n.j

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D