Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

divagares

divagares

02
Fev13

A propósito de uma leitura sobre Leonardo da Vinci

divagares

"Parece-me que todas as ciências não nascidas da experiência, berço de todas as certezas... ou seja, as que na sua origem, meio ou fim não passam por nenhum dos cinco sentidos, são vãs e cheias de erros."

 

Cerca de 350 anos antes da formulação das teses marxistas, assim pensava da Vinci! A experiência, ou seja, a prática origem primeira de todo o conhecimento. É a prática que permite o conhecimento, sensível num primeiro grau, inteligível/racional posteriormente e daí se chega à formulação dos conceitos e da teoria. E de novo a prática (a prática é o critério da verdade, disse Mao). É esta a base da teoria do conhecimento formulada por Marx e Engels, cerca de 1845.

 

Mas Leonardo da Vinci não se fica por aquele pensamento, ele afirma que "A prática deve basear-se sempre numa teoria coerente, da qual a perspectiva é guia e entrada e sem ela não se pode fazer nada bem."

Ou seja, para ele teoria e prática entrelaçam-se. Dando enorme importância à experiência - a prática - ele jamais subestimou a teoria. E foi ancorado nestas duas bases que desenvolveu toda a sua reflexão e criação multifacetada, afirmando-se como um génio, possuidor de um pensamento dialéctico claro:

 

"Consciente de que não consigo lobrigar nenhum objecto de grande utilidade ou prazer, porque os homens que me precederam se apoderaram de todos os temas profícuos e necessários, eu procederei como alguém que, devido à sua pobreza, é o último a chegar à feira e, não sendo de outro modo capaz de se prover, se apodera de todas as coisas que outros viram mas não adquiriram, antes recusaram por serem de pouco valor."

 

Marx e Engels sintetizaram o seu pensamento, nas teses sobre Feuerbach, de forma genial: "Os filósofos não têm feito senão interpretado o mundo de diferentes maneiras; a questão, porém, é transformá-lo!"

 

Interpretar, compreender o mundo objectivo e suas leis é muito importante, indispensável, mas não chega! Seria uma trabalheira para nada! Há, pois que transformá-lo!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D