Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

divagares

divagares

14
Fev13

Os sucessivos ataques à escola pública

divagares

A escola pública tem sido alvo de sucessivos ataques desde 1976. Sottomayor Cardia (ministro de Mário Soares) iniciou as hostilidades. E o que se lhe seguiu foi sendo cada vez pior. Actualmente, no que à educação diz respeito, a troika externa defende o despedimento de cerca de 60 mil professores! E a troika interna prepara-se para levar por diante as exigências daquela. A qualidade do ensino tem sido degradada pelas políticas seguidas, independentemente da "cor" que governa.

 

A propósito do livro Os Labores de Adão & os Artifícios de Eva, de Hugo Santos, Domingos Lobo diz num artigo hoje publicado no Avante!: "convém ao poder criar uma legião de submissos úteis, que se não interroguem, que não questionem, que obedeçam sem chatear. A literatura de supermercado serve esse desígnio, com a televisão, os modelos formatados da produção cinematográfica de hollywood, os jogos virtuais, etc., a criarem o cerco. É a escola, as universidades que estes senhores almejam, vão, lentamente, destruindo os imaginários, a massa crítica, reduzindo a inteligência e a capacidade dedutiva."

 

Entretanto, nesse artigo, DL cita Manuel Manguel: "O que está a perder terreno é a inteligência. Estamos a tornar-nos mais estúpidos porque vivemos numa sociedade na qual temos de ser consumidores para que essa sociedade sobreviva. E para se ser consumidor, é preciso ser estúpido, porque uma pessoa inteligente nunca gastaria 300 euros num par de calças de ganga rasgadas. Essa educação da estupidez faz-se desde muito cedo,desde o jardim de infância. É preciso um esforço muito grande para diluir a inteligência das crianças, mas estamos a fazê-lo muito bem. Estamos a conseguir destruir aos poucos os sistemas educativos, éticos e morais, o valor do acto intelectual."

"A escola, a universidade, deveriam ser o lugar onde a imaginação tem campo livre, onde se aprede a pensar, a reflectir, sem qualquer meta. Mas isso é algo que estamos a eliminar em todo o mundo. Estamos a transformar os centros de ensino em centros de treino. Somos a primeira sociedade que entrega os seus filhos à escravidão, sem qualquer sentimento de culpa. Nesses centros de aprendizagem, estamos a criar seres humanos que não confiam nas suas próprias capacidades e que começam a acreditar que o seu único objectivo na vida é arranjar trabalho para conseguir sobreviver até chegar à reforma - mas até isso já lhes estão a tirar."

 

O pessimismo de Manguel, infelizmente, identifica a realidade em que estamos mergulhados. Dia a dia tomamos conhecimento de factos que eram para nós improváveis de acontecerem - é aterradora a ideia de que "somos a primeira sociedade que entrega os seus filhos à escravidão". Acredito que que há alternativa esta premissa. Estou convencido que, quando a humanidade tomar consciência de que há alternativa a esta situação, não haverá "drones" que impeçam o caminho da mudança.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D